Resenha: Os 13 Porquês

Autor: Jay Asher
Editor: Ática

Páginas: 256
Ano: 2009

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem 13 motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.
O suicídio de Hannah Baker chocou a todos na sua cidade, principalmente os seus colegas de escola. Depois do suicídio de Hannah, Clay Jensen, seu colega de escola e de trabalho recebe um pacote na porta de sua casa com 7 fitas contendo 13 gravações de Hannah. Essas gravações são sobre 13 pessoas que segundo ela, foram os principais responsáveis pelo seu suicídio. Quem receber a caixa com as fitas tem que escutá-las até chegar na sua história e depois passar para o próximo nome. Clay recebeu as fitas e está doido para descobrir o que ele fez para estar ali, enquanto escuta, ele percebe que nem todos no seu colégio são o que aparentam ser. 

Eu fui com as expectativas muito altas para ler esse livro e não me decepcionei nem um pouco. A escrita do Jay Asher é cativante e desde o início do livro ele me deixou morrendo de curiosidade para saber o que continha em cada fita. Gostei muito também da construção de todos os personagens, eles são trabalhados de uma forma bem individual, o que deixa cada personagem único.

O único problema que eu tive com o livro foi a diagramação, eu li em ebook então as partes da fita da Hannah ficavam em itálico, mas tinha vezes que não colocavam em itálico então confundia um pouco com as falas do Clay. Mas esse problema foi por causa do ebook, não sei como está o livro físico.

Ao contrário do que muitos dizem, eu tive a percepção de que essa é uma história sobre vingança, e não sobre suicídio. Não posso explicar muito porquê achei isso se não vai ser spoiler.

Nota:


Série

A série foi lançada dia 31 de março pela netflix. Logo que lançou fez um burburinho danado, todo mundo falava sobre. Ao contrário do livro, eu não gostei tanto da série assim. É uma série, então a história tem que ser mais longa, só que eu não gostei do modo que fizeram para alongar a história. O Clay demorou mil anos para escutar as fitas, enrolou pra caramba, não tinha necessidade disso, tinha bem mais coisas a serem exploradas. Não gostei da importância que alguns personagens tiveram na série, tipo o Tony, que cara insuportável, ele parecia um vidente, sempre sabia onde o Clay estava, bem desnecessário.

Sem contar que a série vai contra as recomendações da OMS (Organização Mundial de saúde), que são: 1) evitar romantizar o ato do suicídio; 2) evitar retratar o suicídio como uma resposta aceitável às dificuldades; 3) evitar incluir o método, local ou detalhes da pessoa que faleceu. Essa é uma maneira não só de respeitar quem morreu e sua família, como também de retratar o assunto de uma maneira que seja direta e objetiva e que foque mais em ações de prevenção e conscientização.

A série é voltada para um público mais teen, então acho que a linguagem abordada deveria ser diferente. Eles não abordaram as opções da Hannah, foi como se o suicídio dela fosse a única saída e pronto. Não gostei disso, faltou delicadeza para tratar de um assunto tão importante.

Sobre o autor:

Jay Asher é um escritor americano contemporâneo de romances adolescentes.Ele nasceu em Arcadia, Califórnia em 30 de Setembro de 1975. Cresceu numa família que o encorajou em todos os seus hobbies, de tocar guitarra à escrever histórias.




Share:

12 comentários

  1. Oi. Na minha opinião, o Tony sabia de tudo e supunha o efeito que a revelação iria provocar em Clay, que foi bem omisso durante seu convívio com Hannah.
    Eu gostei da presença ponderada dele, apesar de ele ser contraditório e participar da pancadaria em que 4 seguram 1 pra bater. Isso foi beeeeem errado. mas quem não é contraditório?

    ResponderExcluir
  2. Olá Thainá, tudo bem?
    Menina, eu fiz uma resenha dessa série esses dias e minha opinião é muito parecida com a sua. Já li o livro, apesar de fazer muito anos, e pude comparar alguns aspectos. Não gostei da demora do Clay, mesmo sendo necessário, e não gostei do fato de que mostraram a cena do suicidio. Acho que a série é um pouco vingativa sim, mas acho que isso depende de cada um né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Li o livro tem um tempo e, apesar de nao achar a série ruim, o livro ganha em disparado! Quem curtiu a série com certeza deveria ler o livro. É uma escrita fácil e bem mais trabalhado de forma grandiosa que a série. Adorei a resenha, é realmente isso que passa. A história é boa

    ResponderExcluir
  4. Olá!!! Não tive a oportunidade de ler o livro, nem assisti à série, mas com o burburinho todo, foi impossível não saber seu conteúdo. E sua opinião foi uma das mais bem exploradas entre as que li até aqui, bem diferente da maioria que achou a série maravilhosa e um tipo de alerta... E mesmo sem ter lido o livro, acredito que você foi assertiva ao dizer que a atitude da Hannah foi uma espécie de vingança. Ótimo texto, adorei! Bjoooo

    www.blogpapelpapel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Thainá, o livro ainda não li, mas pretendo ler. Já a série, estou em vias de assistir os episódios, bom, pelo menos, estava, hehe. Não acredito que trataram o tema suicídio dessa forma tão superficial. Enfim, vou ver mesmo assim e tomara que não concorde com vc, haha.

    Abraço e parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  6. A Série realmente perdeu o foco e prefiro muito o livro, que é mais real e sensível.

    ResponderExcluir
  7. Eu estou lendo o livro só agora, depois de ter visto a série.
    To achando mais focado do que a própria série e conseguindo meio que comparar uma coisa com a outra..
    antes eu achava que o foco fosse bullying, mas agora eu vejo que é muito mais sobre isso e é também sobre assédio.
    Gostei muito da série e adorei sua resenha sobre ela!
    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua resenha. Eu sempre tive muita vontade de ler mas o livro sempre estava tão caro quando tinha sorte de encontrar. Assisti a série e gostei bastante. Muito relevante e importante.

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bem? Muitas pessoas acreditam realmente que a história é sobre o suicídio ou sobre ser vítima, mas também percebi que é sobre vingança. O bom de ler livros assim diferentes é que cada leitor tem sua própria percepção sobre a história. Ótima resenha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  10. Oi Thainá! Passando pra conhecer o seu cantinho literário! <3 Já adorei as dicas de leitura e resenhas, vou seguir! :) Eu também to super atrasada com séries, então, to acompanhando o 13 Reasons só através do comentário dos amigos mesmo rsrs
    Bjinhos,
    Rebeca

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Thainá, tudo bem?

    Então, eu assisti a série, mas não tive o prazer de ler o livro até o momento. Confesso que estou bem curiosa para ler a obra, pois os detalhes da escrita devem impactar bem mais o leitor e a mensagem deve adentrar mais profundamente.
    A série foi muito bem produzida e consegue prender o telespectador e quanto a sua percepção que o livro estaria mais voltada a vingança do que ao suícidio, não posso concordar e nem discordar, visto que não li a obra ainda. Mas, pela série, diria que que o objetivo da série não é nenhuma das duas vertentes, tem bem mais escondido por trás! Adorei sua resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá Thainá! Fiz uma crítica recente e concordamos que a série tem uma série de problemas, embora seus temas sejam relevantes. Agora, me chama atenção o fato de que o livro é tão bem falado. Quando eu tiver um tempo pretendo conferir.
    Até!

    Leonardo

    ResponderExcluir